odontotop para aprovação
SEMEAR BANNER PRO SITE
BANNER 1 PC
Frame 1
ENTRE EM CONTATO (1)
MOBILE odontotop para aprovação
SEMEAR VERSAO MOBILE
ENTRE EM CONTATO (978 x 1282 px)
BANNER MOBILE 2
SEMEAR BANNER PRO SITE
MARCIO UCKER
cultura
amizade
ibi

NOTÍCIA

Câmara dos Deputados aprova Projeto de Lei que cria cadastro nacional de pessoas condenadas por violência contra a Mulher

Na última quarta-feira, a Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei 1099/24, de autoria da deputada Silvye Alves, que estabelece a criação do Cadastro Nacional de Pessoas Condenadas por Violência contra a Mulher (CNVM). A proposta, que agora segue para apreciação no Senado, foi aprovada na forma de substitutivo do relator, deputado Dr. Jaziel.

Objetivo do Cadastro

O CNVM tem como objetivo reunir informações detalhadas sobre pessoas condenadas por crimes de violência contra a mulher, com sentença penal transitada em julgado. Importante destacar que o cadastro resguardará o direito de sigilo do nome da vítima.

Crimes Abrangidos

O cadastro incluirá dados de condenados pelos seguintes crimes:

– Feminicídio
– Estupro
– Estupro de vulnerável
– Violação sexual mediante fraude
– Importunação sexual
– Assédio sexual
– Registro não autorizado de intimidade sexual
– Lesão corporal praticada contra a mulher
– Perseguição contra a mulher
– Violência psicológica contra a mulher

Dados Incluídos no Cadastro

O CNVM conterá informações como:

– Nome completo
– Documentos de identidade (RG e CPF)
– Filiação
– Identificação biométrica (fotografia de frente e impressões digitais)
– Endereço residencial
– Crime cometido contra a mulher

Gestão e Atualização do Cadastro

A gestão do CNVM ficará a cargo do Executivo federal, que deverá garantir a comunicação entre os sistemas para o compartilhamento de informações. Os dados serão periodicamente atualizados e permanecerão disponíveis até o término do cumprimento da pena ou pelo prazo de três anos, caso a pena seja inferior a esse período.

Implementação

As regras estabelecidas pelo projeto de lei entrarão em vigor 60 dias após sua publicação.

Essa iniciativa representa um passo significativo na luta contra a violência de gênero, proporcionando maior controle e monitoramento dos agressores, e reforçando a proteção às mulheres.

Fonte: Agência Câmara de Notícias

450507482_1106641311009217_6593357681911827397_n
244214142_121223793605666_3201720004208988564_n

MAIS NOTÍCIAS